A demanda no mercado de Gerontologia

Atualizado: 17 de Fev de 2020

Por LUCINEIDE CRUZ & JOÃO BATISTA FERREIRA JÚNIOR*


Envelhecer faz parte de estar vivo!


Mas muitos se esquecem, principalmente quando são novos, que poderão viver cerca de sete ou oito décadas com o seu corpo, e que este, sentirá o impacto do tempo.


Atualmente, de acordo com o IBGE, o Brasil possui 30,2 milhões de idosos, o que gera uma demanda para diferentes setores, como o da Gerontologia, responsável pelo estudo dos fenômenos fisiológicos, psicológicos e sociais relacionados ao envelhecimento do ser humano.


Cidades como Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, pulam à frente trazendo espaços que centralizam todo este cuidado com o público da boa idade. Desta forma, os profissionais de gerontologia conseguem em um único espaço colocar em prática todo o seu conhecimento e trazer para os clientes um serviço especializado e de qualidade onde trabalham: estimulação cognitiva, reabilitação física, acompanhamento psicológico e diversas oficinas, acompanhados de nutricionistas, fisioterapeutas, enfermeiros, médicos e educadores físicos.


Nestes ambientes monitorados, verifica-se a melhora de aspectos como: prevenção e diminuição de problemas cardiovasculares e pulmonares, auxílio no controle de diabetes, artrite, fortalecimento muscular, sono e os quadros de doenças psicossociais, entre outros benefícios. O profissional de gerontologia é o elo entre paciente e familiares, oferecendo a ambas as partes uma melhor qualidade de vida, bem como, também poderá treinar profissionais nos cuidados a idosos.


Por ser ainda uma área nova, o conhecimento ainda se encontra centralizado, mas logo as oportunidades irão aparecer. Os maiores empregadores ainda são universidades e centros de pesquisas e ONGs, mas o atendimento domiciliar será o maior diferencial para este público devido à locomoção. A remuneração nesta área vai depender muito das habilidades, especializações e experiência no mercado.


Então, aqueles que buscarem se profissionalizar na área de gerontologia estarão saindo na frente no mercado de trabalho, pois essa demanda está em crescimento desde o século passado, e tende a crescer cada vez mais com o uso de novas tecnologias.


*João Batista Ferreira Júnior – graduado em ciência da computação, licenciatura em educação física, pós-graduado em fisiologia do exercício, biomecânica e personal trainer.


Conheça a nossa colunista Lucineide Cruz e leia outros artigos de sua autoria:

https://www.cartapolis.com/tendencias-cenarios


24 visualizações