A Importância da Parceria Escola e Família na Educação Infantil

Atualizado: Fev 17

Por LUCINEIDE CRUZ & JERUSA EULÁLIO*


Ler e cantar para o bebê ainda dentro da barriga da mamãe é importante para aguçar o leitor ouvinte. Antes de aprender a ler aprendemos a ouvir. Quando o bebê chega ao mundo às histórias continuam o acompanhando com novas vozes, sons e ritmos; livros de diferentes formatos, texturas, cores e imagens. A leitura estimula a inteligência e ajuda a desenvolver as conexões neurológicas. Os três primeiros anos de vida dos bebês são importantíssimos para desenvolvimento pleno do ser humano.

A leitura para bebês também é um momento de entrega ao mundo lúdico e o da fantasia, proporcionando: poder de concentração e observação; a fala; o aumento do vocabulário; a criação de palavras para expressar suas necessidades; a percepção e observação de  gravuras e sons.

Os bebês normalmente possuem grande satisfação em ouvir. As palavras valem pelo som que produze. Eles gostam de ouvir os adultos e de repetir as silabas que pronunciam.


Na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que conforme definido pelo Ministério da Educação é um conjunto de orientações que deverá nortear a (re)elaboração dos currículos de referência das escolas das redes públicas e privadas de ensino de todo o Brasil.


No documento existe uma afirmativa e preocupação em potencializar as aprendizagens e o desenvolvimento das crianças, a prática do diálogo e o compartilhamento de responsabilidades entre a instituição de Educação Infantil e a família, bem como um direcionamento para o respeito a diversidade e às peculiaridades culturais e regionais existentes no Brasil.


A busca da parceria entre escola e família na educação infantil, que envolve desde os bebês às crianças de cinco anos e onze meses, visa estimular proporcionar bons estímulos além de assegurar o respeito aos direitos delas de conviver, brincar, participar, explorar, expressar-se e conhecer-se.


Estimular uma criança é fundamental e ao contar com o apoio e parceria da escola, que em conformidade com a BNCC trabalhará além dos direitos de aprendizagem e desenvolvimento, os cinco campos de experiências: O eu, o outro e o nós; Corpo, gestos e movimentos; Traços, sons, cores e formas;  Escuta, fala, pensamento e imaginação e Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações, sendo que cada um destes campos possui seu próprio objetivo de aprendizagem e desenvolvimento definido pela faixa etária.


*Jerusa Eulálio é pós-graduada em  Gestão Administrativa na Educação, Gestão e Orientação Educacional  e Gestão de Processos Acadêmicos. É escritora e fundadora do Aritana Arte e Livro.