ANÁLISE: SE HOUVER BASE AMERICANA, MELHOR OPÇÃO SERIA NATAL

A foto antiga, remasterizada, mostra o célebre encontro entre os presidentes norte-americano Franklin Delano Roosevelt e o brasileiro Getúlio Vargas, em Natal, em 1943..

Leiamos o que o Wikipedia diz a respeito:

“A Conferência de Natal ou Conferência do Potengi[1] foi uma reunião ocorrida em 28 de janeiro de 1943 entre o então presidente do Brasil, Getúlio Vargas e o presidente dos Estados Unidos, Franklin Delano Roosevelt. Voltando da Conferência de Casablanca, que decidiu sobre o caminho a ser seguido pelos aliados, o presidente americano decidiu visitar as instalações militares na região de Natal, que contribuíam principalmente com o envio de aeronaves e suprimentos para os frontes na África e Ásia”

E segue:

” Além da visita, ocorreu a conferência entre os dois presidentes a bordo de um destroyer americano atracado no porto de Natal, no Rio Grande do Norte. O porto está localizado às margens do Rio Potengi, daí o nome da conferência. No evento foram definidos os acordos que deram origem à Força Expedicionária Brasileira (FEB); o que em contrapartida garantiu recursos para a consolidação da Usina Siderúrgica Nacional, de Volta Redonda” .

Ou seja, traduzindo em português claro:

Getúlio, muito espertamente, entregou a base em Natal e ganhou em troca a siderúrgica de Volta Redonda.

O que Jair Bolsonaro tem a ver com isto?

Se houver um acordo com os Estados Unidos para instalação de uma base militar no Brasil, Nata é a candidata natural pois já tem a tradição e logística perfeita, por dominar o Atlântico Norte e servir como plataforma de reabastecimento terrestre para os caças os F-18..

A pergunta que se impõe é: “O que Bolsonaro pediria em troca?

1 visualização