APARECIDO FARIA 90 ANOS HOJE COM TODA VIVACIDADE E ESPÍRITO PÚBLICO

Se vivo estivesse, José Aparecido de Oliveira, faria hoje 90 anos, provavelmente comemorados em Conceição de Mato Dentro, sua terra natal mineira.

Governador do Distrito Federal – que levou a ser Patrimônio da Humanidade – , ministro da Cultura, deputado federal, embaixador em Portugal, secretário de Estado em Minas. além de interlocutor, conselheiro e formulador político de 5 presidentes – Jânio Quadros, Aureliano Chaves, Tancredo Neves,  José Sarney, Itamar  Franco e – e de um candidado eterno a presidente –  Magalhães Pinto – ele foi um algodão entre os cristais da República, aparando crises e tecendo a arte das soluções impossíveis.

Aparecido, através de infindáveis conversas, dissolveu animosidades e crises entre civis e militares e contribuiu para aplainar o caminho da admissão da candidatura Tancredo pelos chefes  do Exército  na época, dando impulso à redemocratização do País.

Amigo e fonte precisa e preciosa de jornalistas como Carlos Castello Castello Branco  e Evandro Carlos de Andrade, passava-lhes não só informações mas colunas inteiras com seu gosto pelo detalhe que não desprezava a malícia  – combustível da política.

Cultuador de fortes amizades no meio político, essas também em invadiam  o meio diplomático, literário, das artes e empresarial.

Foi um mestre  inovador da política como construtor de pontes de vigas firmes somente pelo diálogo e nada mais.

1 visualização