ARGENTINA, TUDO NOS DESUNE NADA NOS SEPARA

O presidente Maurício Macri acaba de adentrar o Palácio do Planalto na qualidade de primeira visita oficial de um chefe de Estado estrangeiro ao presidente Jair Bolsonaro.

Achei o presidente argentino meio envelhecido. O brasileiro, achei meio encurvado ao subir a rampa do mezanino do palácio. Para ambos, ossos do ofício.

Macri não deve ter esquecido de que o ministro Paulo Guedes exorcizou o Mercosul de suas prioridades antes mesmo do governo começar. Disse ele na ocasião a uma jornalista argentina de El Clarin, em tom ríspido, que a Argentina e o Mercosul não seriam suas prioridades.

Hoje é diferente, é jogo jogado, com Bolsonaro no poder, Macri calçou  as sandálias da humildade  e veio ao Brasil hoje, depois de recusar o convite de vir para a posse.

Tudo nos desune nos momento na economia e na área internacional mas há  algo que nos une os dois governos – a Venezuela. pensando nem, nada nos separa, somente a conjuntura de termos dois presidentes de forte personalismo e candidatos a protagonizar na liderança da América do Sul.

0 visualização