BACALHAU DO SOLAR

Por ANDRÉ R. COSTA OLIVEIRA



“Mandei plantar...”


Dois quilos de bacalhau (gadus morhua) em postas grandes e salgadas.


Deixe na água por 36 horas para eliminar o excesso de sal, troque periodicamente a água. A última água, aliás, serve para um belo arroz de bacalhau, caso você queira fazer. Eu pessoalmente como o bacalhau com arroz com brócolis na manteiga.


“Folhas de sonho no jardim do solar...”


Cozinhe por 10 minutos em fogo baixo, e em seguida retire as escamas e, delicadamente, as espinhas. Elas sairão praticamente sozinhas.


“As folhas sabem procurar pelo Sol...”


Com as mãos, crie postas finas, separando-as. Em outro recipiente, corte tomates, cebolas, um pouco de alho e pimentões (verdes, vermelhos e amarelos) em pedaços médios.


“E as raízes procurar, procurar...”


Cozinhe batatas, corte em rodelas e coloque na base da assadeira. Em seguida as postas de bacalhau. Em seguida os legumes. Mais bacalhau. Mais batatas e assim por diante, até o limite do recipiente.


“Mas as pessoas na sala de jantar...”


Muito azeite de oliva, preferencialmente grego, que não seja extra-virgem, ao longo de todo o processo.


“Essas pessoas na sala de jantar...”


Cozinhe ovos de codorna, descasque e decore o prato, juntamente com azeitonas pretas sem caroço.


“São as pessoas da sala de jantar...”


Leve ao forno baixo, 40 minutos, e observe na travessa o azeite borbulhando.


“Mas as pessoas na sala de jantar...”


Sirva e desfrute de um dos melhores pratos do universo.


“São ocupadas em nascer e morrer...”

(Os Mutantes)


***

Siga o perfil Gastronomia com Letras no Instagram:

https://www.instagram.com/gastronima_com_letras_2020/

28 visualizações