CATETO AO VINHO TINTO COM MAÇÃS

Por ANDRE R. COSTA OLIVEIRA

O cateto (ou caititu) é chamado também de porco-do-mato devido à sua semelhança física com o javali. Entretanto, diferem-se por algumas características anatômicas peculiares.

Antes de continuar, enfatizo que se trata de um animal silvestre e cuja caça predatória é tipificada como crime ambiental.

Contudo, há inúmeras casas de carne especializadas que os comercializam com os necessários selos de procedência e controle animal.

O cateto é incrivelmente saboroso (macio, levemente adocicado), possui coloração mais clara e baixíssimo teor de gordura e colesterol. Rico também em proteínas e em outros nutrientes.

Como eu preparo?

Três pedaços altos de lombo de cateto (que dá em torno de 700 gramas), marinados por 12 horas em vinho tinto seco.

Finalizado o processo, coloque-os em panela de altura média, com pouca manteiga pré-aquecida. Observe que a base de todo o processo de fritura será a própria gordura da parte superior de cada peça cortada de lombo, o que realça o sabor.

Tempere com sal, alho e cebolas esmagadas, duas folhas de louro, salsinha, tomilho e alecrim.

Corte em seguida uma maçã grande em fatias finas, coloque-as também para cozinhar junto.

Em seguida, crie o molho na mesma panela, e com o mesmo vinho no qual a carne foi anteriormente marinada. Realce o sabor com pimenta-do-reino verde e vermelha.

“Foi a caça favorita e querida pelos indígenas brasileiros, reputando a carne mais saborosa, revigorada e tônica. Também para o caçador o porco-do-mato é peça régia, digna de ecômios e recordações. “

(Luis da Câmara Cascudo, in “História da Alimentação no Brasil, 1967)

11 visualizações