CNN BRASIL: NOVIDADE NO TELEJORNALISMO BRASILEIRO?

Atualizado: Abr 13

Por CÉLIA LADEIRA MOTA



Enquanto a CNN Brasil prepara os últimos detalhes para a sua estreia na TV a cabo brasileira, prevista para o dia 15 de março, as principais concorrentes anunciam mudanças na programação. O Canal Globo News, pertencente à TV-Globo, já criou um novo horário de entrevistas, às 11 horas da noite, transferindo para ele as entrevistas que ocupavam o horário noturno de 9:30 horas. Ficam escalados os mesmos comentaristas: Miriam Leitão, Cristiana Lobo, Gerson Camaroti, Andreia Sadi. Levam consigo, para o novo horário, alguns entrevistados costumeiros e audiências previsíveis.


O podcast Papo de Política vai virar programa de TV, às quintas-feiras no mesmo horário das 23 horas. Por sua vez, a Band News e a Band TV anunciam novidades no formato telejornalístico, que terá uma versão para o Facebook.


Parece mais do mesmo. Até porque o novo canal está contratando profissionais que atuavam na TV-Globo.

Teremos o mesmo jornalismo que prefere tomar partido político a desvendar as contradições e posicionamentos que envolvem os fatos?

Uma prática que evita a regra do contraditório que faz parte de uma concepção mais democrática do fazer jornalístico? Com boa vontade e levando em conta o modelo da CNN Internacional,poderemos esperar novidades no que vem pela frente.


A CNN Brasil tem por meta realizar um velho desejo da CNN Internacional, que sonhava com uma versão em português. A CNN – Cable News Network – foi criada em 1980 como um canal por assinatura de notícias pelatelevisão de propriedade da Warner Media, uma subsidiária da AT&T.

Fundado por Ted Turner, empresário de Comunicação e ex-marido de Jane Fonda, o canal funciona na cidade de Atlanta, na Georgia, Estados Unidos. No Brasil, a CNN terá sede na avenida Paulista, em São Paulo. Além da sede, a CNN Brasil contará com redações em Brasília e no Rio de Janeiro, além de correspondentes em Londres e em Nova York, prometendo uma cobertura especial nas principais cidades do mundo com sinais de transmissão exclusivos da CNN Internacional.

O inverso também ocorrerá, nos planos da equipe brasileira: repórteres da CNN Brasil entrarão, ao vivo ou em reportagens especiais em inglês, quando o tema for de interesse no exterior, para a rede CNN presente em mais de 200 países. Uma vitrine jamais vista antes no jornalismo nacional.


O novo canal terá lançamento para o mercado publicitário, anunciantes, autoridades, jornalistas especializados e demais convidados, no Ibirapuera, em São Paulo. Os responsáveis pela emissora no Brasil são o engenheiro bilionário Rubens Menin, dono da construtora MRV e do banco Inter, e o jornalista Douglas Tavolaro, ex-vice-presidente da TV-Record. Menin revelou no Twitter a posição que pode ser considerada democrática do novo canal:


“Sabendo da importância de uma imprensa livre e independente, pautada pela ética e responsabilidade, que trata os fatos de maneira construtiva, pretendemos protagonizar a construção de um país melhor e ampliar a sua visibilidade ao mundo com informações relevantes. Novos tempos virão!", escreveu.


A CNN Brasil já está funcionando em um prédio na avenida Paulista, ponto de manifestações populares em São Paulo. A redação está instalada, com centenas de profissionais trabalhando. Muitos deles deixaram a TV-Globo, atraídos pelo novo canal, como Evaristo Costa, William Waack, Monalisa Perrone, e outros como Caio Coppolla, ex-comentarista da Jovem Pan. As contratações vêm ocorrendo desde junho de 2019. As operadoras brasileiras já estão reservando espaços na programação televisiva.


A Sky informa que o novo canal poderá ser acessado pelo número 174, hoje ocupado pela CNN norte-americana. A Net está oferecendo o canal 200 na sua grade.


A programação ainda é um mistério, mas seguirá a orientação da CNN Internacional, com transmissão ao vivo dos principais acontecimentos políticos, sociais e gerais do país e do mundo, muitas entrevistas ao vivo sobre o noticiário, programas de previsão do tempo e de assuntos esportivos, nacionais e internacionais. A cobertura cultural também está prevista.


A programação da CNN Internacional oferece ainda documentários com jornalistas famosos, como Becky Anderson, Connect the World with Becky Anderson. São documentários que buscam mostrar os diversos contextos de fatos mundiais, focando nas circunstâncias em determinada parte do mundo que podem ter um significado impactante em qualquer outro lugar.

Outra estrela da CNN é a jornalista Christiane Amanpour, que se envolve nos conflitos internacionais mais diversos. Ela entrevistou Juan Guaidó, presidente autoproclamado da Venezuela e ouviu igualmente o presidente Nicolas Maduro. Participou da cobertura especial sobre o impeachment da presidente Dilma Roussef, dando voz para representantes de diferentes posicionamentos políticos e entrevistando a própria ex-presidente.


Poderemos esperar do novo canal CNN Brasil um comportamento independente como o da repórter Christiane Amanpour?  Alguém que coloca a verdade, ou as verdades que envolvem os acontecimentos, acima das paixões politicas?


Esperemos que os novos contratados consigam se livrar dos condicionamentos adquiridos nos longos anos em que serviram à TV Globo e assumam uma postura mais independente e, com isso, mais democrática.


#celialadeira #telejornalismo #cnnbrasil


Conheça a nossa articulista Célia Ladeira e leia outros artigos de sua autoria:

https://www.cartapolis.com/analise-da-noticia