CONFIRA SEMPRE A CONTA

Por PAULO BEZERRA


Eu trabalhava no atendimento ao público de uma concessionária de serviço público e percebi que algumas prestadoras tinham dificuldade com pequenos cálculos. Conversei com duas delas sobre a importância de utilizar a matemática no dia a dia.


A Simone, ouviu meus conselhos atentamente, assim como a Lílian, que por atuar na área de eletrotécnica, tinha um pouco mais de facilidade. Na semana seguinte, quando as duas foram a um self-service, Simone já calculava quando daria seu prato de comida antes de chegar na balança.


Nas minhas aulas de matemática, sempre falo para os alunos que eles devem saber o resultado aproximado antes de fazer as contas. Isto é, devemos ter uma noção de resultado, mesmo antes de iniciar os cálculos.


Na faculdade, o meu professor de física, um doutor, reclamou que um aluno, para a pergunta: calcule o preço de um banho de 15 minutos com um chuveiro com determinada potência e ao custo praticado atualmente pelo custo do kwh, deu a resposta que um único banho custaria mais de R$ 400,00. Imaginei quanto ficaria a conta ao final do mês se todos da família dele tomassem um banho por dia.


Ter noção de valores, além de ajudar um aluno nas aulas, auxilia em diversas questões do dia a dia. Imagine a seguinte situação: você possui R$ 25,00 e está sem cartão. Seu estômago está reclamando de vontade de comer. Você encontra um restaurante a R$ 60,00 o quilo. Quanto de comida, visualmente, você pode colocar no prato para que não passe vergonha na balança?


Usar a matemática também ajuda a não perder pequenas quantias. No supermercado, por exemplo, as mercadorias passam muito rápido pelo leitor de código de barras, portanto é bom tem uma idéia de quanto custará a conta, somando mentalmente enquanto coloca os produtos no carrinho.


E muito cuidado com produtos que costumam vir em embalagens, por exemplo, de 3, 6 ou 12, pois ocasionalmente apenas um código de barras já contabiliza a quantidade da embalagem e caso deseje comprar apenas um pode ser cobrado a mais, como se fosse o pacote.


Em bares e restaurantes não confie no totalizador da conta, já houve caso de 2+2 ser igual a 10, nesses casos, não basta consultar a quantidade de cervejas/chopps pedidos, mas a soma mental das linhas é fundamental. Sempre que a conta está a maior eu reclamo, e se prezamos pelo justo, deveríamos contestar em caso contrário.


Num aeroporto, no exterior, fiz um lanche e paguei com uma cédula de USD 50,00 para pagar uma compra de USD 10,00, a atendente me deu um troco de 4 cédulas de USD 20,00 (USD 80,00), eu a chamei para reclamar e esta, muito mal-humorada questionou o motivo, até que eu lhe devolvi duas cédulas, não me lembro de ter ouvido um agradecido, e pelo meu sotaque deve ter notado que eu era estrangeiro, mas de qualquer forma, não devemos querer nada que não é nosso, mas precisamos ter carinho com o nosso e com o que pode ir para a caixinha.