CUSTO POR USO

Por PAULO BEZERRA

Coluna Educação para o Consumo


A satisfação de despender seu dinheiro em algo que não levamos para nossa casa depende do valor que damos ao nosso desejo. Podemos gastar nosso dinheiro com restaurantes, lazer ou viagens, nestes casos o que importa é a realização e o prazer momentâneo.


Já adquirir aquilo que nos será útil por meses ou anos, deve exigir planejamento, como por exemplo, móveis, veículos, vestuários, televisão, geladeira, fogão e outros eletrodomésticos, que permanecerão em nossa casa por anos.


Faça uma revisão mental de tudo que há em sua residência, sem esquecer nada de grande porte ou valor. Uma máquina de fazer pão, macarrão, uma esteira ou bicicleta ergométrica, se praticamente nunca foram utilizadas foram produtos extremamente caros. E esses equipamentos podem acabar servindo apenas como cabideiro no futuro, e o seu custo permitiria bancar diversas mensalidades em academias e provar vários sabores nas melhores cantinas, cafés e boulangeries, dado que, ao fazer as contas, o valor de estar nestes lugares seriam menor do que das máquinas paradas no armário mais inacessível de sua cozinha.


Até mesmo uma televisão de 75 polegadas ou no formato 21:9 para assistir ao telejornal ou à novela é um verdadeiro desperdício, se o espaço entre a TV e o sofá for menor que 3 metros, pois a pequena distância, não ajudará a ter boa qualidade de imagem e ainda “roubará” o dinheiro que poderia direcionado para ir a um bom cinema.


Se o motivo de sua compra não for estética ou causar inveja aos outros, ele deve ser planejado. Eu não concordo com nenhum dos dois motivos, mas algumas pessoas se realizam assim...


Agora, se deseja comprar um sapato muito caro, um eletrodoméstico essencial ou um carro premium e você os utiliza à exaustão ou é algo que agregará à sua renda, você terá o meu total apoio e encorajamento, e se estiver viajando e não resistir a algo bem carinho, vá lá e compre, desde que pretenda usar.


O par de sapato mais caro que já comprei foi o que paguei mais barato até hoje. Certa feita saí de casa para ir para o trabalho e no meio do caminho, lembrei que precisava do sapato social que esquecera em casa. Voltar para casa me atrasaria e teria o custo de combustível, então paguei R$ 50,00 por um par de sapatos na região central da cidade em uma loja popular.


Esses sapatos eram desconfortáveis e eu só os utilizei apenas uma única vez. Se eu tivesse pago R$ 1.000,00 por um calçado e fosse ao trabalho durante um mês inteiro diariamente o custo de utilização dele seria de aproximadamente R$ 45,00, se utilizar durante um ano inteiro o custo cai para R$ 3,80 e provavelmente ainda estará novo após 12 meses.


Portanto, lembre-se que toda vez que colocar a mão em sua carteira você terá a oportunidade de, mesmo gastando muito, engordar sua caixinha lá na frente.


O dinheiro é seu e você trabalhou (assim espero eu) para consegui-lo, então, pense antes de ir às compras.


Sua caixinha agradece!


***

Conheça Paulo Bezerra

14 visualizações