“ENTREVISTA COM OUTROS PRESOS NÃO SÃO PRECEDENTE PARA LULA”

(Da juíza federal Carolina Moura Lebbos, em despacho em que voltou a negar o pedido para que o petista seja entrevistado dentro da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde está preso desde o dia 7 de abril. Ela responsável pela execução da pena do ex-presidente. O contexto da nota da Veja é o seguinte: “A decisão (dfe Carolina Lebbos) foi proferida em um recurso movido pelo fotógrafo do Instituto Lula, Ricardo Stuckert, contra o despacho da magistrada que vetou, no último dia 11 de julho, entrevistas e sabatinas com Lula na cadeia. Naquele dia, Carolina negou solicitações do próprio Stuckert e de cinco veículos de comunicação, além de barrar a participação do petista em debates e na convenção do PT. Para a juíza federal, o fato de outros presos em regime fechado terem concedido entrevistas não é “precedente vinculativo” ao caso de Lula. “Registre-se ainda que o fato de terem sido eventualmente realizadas entrevistas com outros presos em regime fechado, pontualmente citados pelo agravante, de modo algum poderia significar autorização genérica ou precedente vinculativo”. Após a decisão de Carolina Lebbos de barrar as entrevistas com Lula na prisão, aliados do petista como a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), e o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) fizeram comparações entre a situação do ex-presidente e a do traficante Marcinho VP, que deu entrevistas enquanto esteve preso. “Um criminoso deu entrevistas, o presidente Lula, que é a maior liderança popular desse país e está com seus direitos políticos preservados, não pode dar entrevistas?”, indagou Gleisi, segundo a Veja).

0 visualização