Estocar Mercadoria em Casa

Atualizado: Fev 17

Por PAULO BEZERRA


No final da década de 1980 a inflação alta dificultava fazer compras de mês. Nessa época era comum faltar produtos ou ter o preço dele valorado, pois o fornecedor, não raras vezes, esperava o aumento do valor da mercadoria para disponibilizá-lo para o mercado.


A solução encontrada por muitos era estocar! Então, quando encontrávamos algo com um bom preço comprávamos mais do que o necessário. Aquela época era bom porque não constava no produto a sua validade e ninguém morria por causa disto.


Surgiram nesta época alguns atacadões, mas muitos sumiram com a estabilidade da moeda, e que agora eles ressurgem com uma nova roupagem. Observe na sua cidade, provavelmente antes havia apenas hipermercados, agora eles estão dando lugar aos atacadões/atacarejo.


Hoje é possível fazer compra de mês neste lugares e encontrar casos em que levando 3, 6 ou mais mercadorias paga-se preço de atacado.


E então, devo ou não comprar a mais e guardar em casa? Onde eu coloco tanta coisa?

Produtos de higiene e limpeza não perdem a validade rápido.


Eu compro no atacadão. Antes eu comprava no mercado de bairro, aí passei a frequentar os hipermercados, senti uma economia grande, agora frequento o atacadista. Observei, certo dia, que um famoso hipermercado parecia meio abandonado, nem tomate tinha à disposição.

Quando eu faço compras eu observo a diferença a mais quando eu levo no varejo, então eu pego algumas unidades a mais para aproveitar alguns centavos de desconto.


Hoje eu compro algo em grande quantidade, na próxima ida à “feira” eu não compro esse produto e compro outro que já estava acabando, no terceiro mês eu não compro nenhum desses dois produtos e levo a mais outros produtos. Desta forma minha despensa (armário de cozinha e de área de serviço) nunca fica abarrotada.


É claro que eu não compro 10 pacotes de sal para aproveitar o desconto.


Tenho levado muito mais para casa com o mesmo dinheiro.


Mas só compensa se eu não estiver pagando juros de nada (nem cartão nem cheque especial).


Seria uma insensatez eu pagar juros e ficar escrevendo dando dicas para encher sua caixinha.


Eu chego a não ter pressa para fazer minha feira, quando eu saio de casa é para comprar perecíveis e então eu aproveito e estoco o que está perto de acabar.


Dinheiro não entra no nosso bolso com facilidade, da mesma forma, devemos colocar dificuldade para tirá-lo de lá, a não ser que seja para engordar sua caixinha.


#paulobezerra #educaçãofinanceira #economia #finanças


Conheça o nosso colunista Paulo Bezerra e leia outros artigos de sua autoria:

https://www.cartapolis.com/seu-dinheiro-na-caixinha