EXISTE HOSPITAL ACOLHEDOR?

Por LUCINEIDE CRUZ

Coluna Bate-Papo Fácil


Um dos maiores desafios de qualquer bom gestor é o de conseguir implementar as estratégias e objetivos organizacionais planejados, já que uma coisa é elaborar, por exemplo, dentro de uma sala, com ar condicionado, cafezinho, e alguns gestores a missão, visão e valores da organização, outra coisa é conseguir fazer com que dezenas ou milhares de colaboradores adotem em suas ações os valores desejados.


Alguns colaboradores, chegam a nem conhecer os objetivos organizacionais da organização onde trabalham, pois em várias, as declarações só servem para constar no site ou estarem em alguma parede, decorando o ambiente.


Ter o prazer de observar o alinhamento de atitudes, dentro do planejado é algo raro, mas quando visto, é incrível! Principalmente se a área for a da saúde, onde devido questões que envolvem uma pandemia é de se esperar que muitos estejam esgotados emocionalmente, seja por ver pessoas morrendo, ou pelo medo de contaminar as pessoas que mais amam, por estar trabalhando.


Recentemente vivi momentos intensos no Hospital de Força Aérea de Brasília, cujo diretor é o Coronel Médico Laerte Lobato de Moraes. Por um lado, eu estava sensível por ter meu pai internado na UTI e por outra, grata por todo atendimento que ultrapassava o profissionalismo, pois o carinho, o acolhimento e a atenção, foram marcantes.


Como passamos alguns dias no hospital, pegamos equipe diferentes, porém, a gentileza esteve sempre presente junto com a excelência no que faziam. Era notório identificar a fluência da comunicação entre as equipes, pois um médico começava falando: o colega do plantão anterior disse que o quadro dele...Vimos que as taxas....


Se sentir tranquilo em um hospital, em pleno período de pandemia não é algo fácil de acontecer, mas a segurança com que a equipes exercem suas atividades é extraordinário, fora que o clima entre eles é respeitoso e muito suave.


Temos o hábito de guardar todos os exames e receituários do pai em uma pasta, a qual sempre levamos quando ele vai realizar algum procedimento ou quando fica internado. Alguns médicos dão uma folheada, outros, nem olham, mas lá no hospital, pediram licença para levá-la para estudar.


E estudaram... Criaram uma linha do tempo em relação ao quadro dele, compararam exames antigos com os atuais, analisaram os receituários, identificando o tipo de tratamento utilizado em diferentes fases. Ver médicos comprometidos é encantador.


Mas para mim, o momento máximo, foi quando o monitor que estava colhendo diversos dados do meu pai, começou a indicar que algo não estava bem. Eu saí no corredor e perguntei para a primeira pessoa uniformizada que vi, o que significavam os indicadores, ele não só me explicou, mas deu um panorama geral, informando como ele estava reagindo nos últimos dias.


Uma organização onde a comunicação flui, os colaboradores de fato se interessam pelos clientes e prestam um atendimento humanizado, acolhedor, carinhoso, é admirável. Parabéns diretor, parabéns equipe e parabéns aos que um dia escolheram e lutaram pela implementação dos objetivos organizacionais.


Segue a missão, visão e valores do Hospital de Força Aérea de Brasília:


Missão:


Executar ações de saúde preventiva, pericial, curativa e reabilitadora, atendendo às complexidades e particularidades dos diferentes segmentos da comunidade aeronáutica brasileira, com ênfase em toda a guarnição de Brasília, em prol do cumprimento da missão da FAB.


Visão:

  • Ser referência em presteza, qualidade, carinho, responsabilidade, resolutividade e acolhimento para toda a comunidade Aeronáutica.

  • Ser visto como opção vantajosa para o aprimoramento técnico profissional para estudantes e profissionais de Saúde da região.

Valores:

H umanização

F raternidade

A colhimento

B em-estar


***

Conheça Lucineide Cruz

20 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

VIVA!