Inclusão…Um fator em desenvolvimento

Atualizado: Fev 17

Por LUCINEIDE CRUZ & CRISLEI MARIA DE MORAIS*


Lamentavelmente é comum andarmos pelas ruas, seja da Capital ou dos grandes centros, e observarmos a dificuldade que um cadeirante, por exemplo, possui para ter sua autonomia. Vemos carros bloqueando rampas de acesso, falta de rampas nas calçadas, calçadas danificadas ou a ausência destas, e nos mais diferentes comércios, inclusive nos quais chegar de ônibus seria praticamente uma missão impossível, pela dificuldade de uma cadeira de rodas entrar e estar nele.


Recentemente o Projeto de Lei do Senado (PLS) 195/2011, foi aprovado na Comissão de Direitos Humanos (CDH), que dispõe que centros de formação de condutores (autoescolas) que tenham dez ou mais veículos deverão dispor de pelo menos um automóvel, flex ou movido a etanol, adaptado para o aprendizado das pessoas com deficiência, sendo que para a compra deste, receberão  isenção  sobre o imposto sobre produtos industrializados (IPI).


Existe a necessidade de conscientizarmos que a inclusão sem ações positivas, não é inclusão, é apenas cumprimento da legislação. Para que haja autonomia e real inclusão na sociedade é preciso que esta mude hábitos e costumes para a verdadeira inclusão acontecer.

Infelizmente não é raro vermos pessoas sem deficiência (pelo menos a física), ocupando vagas destinadas aos que de fato possuem, por exemplo, limitações físicas. Outra cena é o bloqueio, por carros de lugares onde há rampas, impedindo assim o direito que um cadeirante, por exemplo, possui de ir e vir.


A exclusão, acontece a partir do momento que não se tem oportunidade para superação, pois superar, não depende, apenas de vontade própria. É preciso conscientização da sociedade. O mais engraçado é que algumas deficiências são de nascença, mas outras podem ser adquiridas pois há diversos casos de pessoas que em razão de um acidente, perderam alguma mobilidade. Que a nossa sociedade seja cada vez mais igualitária e que entenda que isto significa dar a todos as mesmas oportunidades.


*Crislei Maria de Morais Professora da Secretaria de Educação do DF, trabalha há 20 anos com deficiência e Graduada em Direito.

#CrisleiMariadeMorais #LucineideCruz #PortadoresdeDeficiência #SenadoFederal

4 visualizações