MARUN SAI, SE NÃO APROVAR REFORMA DA PREVIDÊNCIA

O ministro Carlos Marun está disposto a deixar o Palácio do Planalto e o cargo para voltar à Câmara se a reforma da Previdência não for votada ou, se votada, for rejeitada. Tendo se tornado defensor número 1 da reforma, porta-voz palaciano e paladino de sua aprovação, contra as opiniões pessimistas instaladas dentro do próprio governo, não vê como permanecer ministro, pois se sente mais útil liderando o “centrão” da Câmara.

1 visualização