MILITARES ESPERAM SEMPRE POR PALAVRA DO CHEFE

A entrevista do general Fernando Azevedo, ministro da Defesa, ao jornalista Roberto d´Ávila, foi um primor de elucidação do caráter dos militares que estão á frente do governo Bolsonaro.

Não se espere deles o mesmo fervilhamento de cenários e opções de alternância que infestam o meio político.

Eles são muito simples em raciocinio lógico. Cartesianos. Desconfiados de convites e amizades ligeiras. Aversos a seduções imediatas.

Não lêem nas entrelinhas, mas nas linhas retas em que todo mundo lê.

Não se dão a construções idealísticias nem a aceitações fatalísticas. ada os desune, quanto menos civis de linguagem empolada, ternos caros e olhos brilhando de oportunismo

Detestam acessos fora de hora. Preferem guardar a posição como guardam o tempo.

Em guardando posição, respeitam a palavra do chefe. O chefe está se recuperando. Até voltar a ordem é esperar.

0 visualização