NADA COMO PODER EMERGENTE PARA SEDUZIR GRÃO-VIZIR TUCANO

Tal como agora com Jair Bolsonaro, o presidente eleito Fernando Collor  despertava na época após sua eleição as mais diferentes reações políticas: de euforia a repúdio, de endeusamento a sarcasmo.

Entre os tucanos, com a derrota de Mário Covas na eleição presidencial, a rejeição a Collor era total.

No dia de sua posse no Congresso Nacional, porém, foi observada uma cena hilária envolvendo um destacado membro do alto tucanato.

O então senador Fernando Henrique Cardoso, indicado para a comissão de parlamentares que recebeu Collor na entrada do Congresso, ficou de tal modo extasiado com a aparição do novo dono do poder, que por mimentos dividiu om ele o pequeno sofá da salão nobre,  para dois aninados dedos de prosa com o presidente eleito.

Nada com, o poder emergente em Brasília!

1 visualização