NOÊNIO SPÍNOLA; ISRAEL SERÁ O PRÓXIMO VALE DO SILÍCIO









De Noênio Spínola, no Facebook:



“Os Erros Humanos são o tema do meu próximo livro. Andei pesquisando museus e sítios arqueológicos nas montanhas entre Portugal e Espanha. No caminho vi este belo quadro de Grão Vasco sobre a circuncisão de Jesus. Revela a origem Judaica de Cristo que muitos ignoram. Bolsonaro lembrou isso no discurso de posse. Depois de batalhar quase a vida toda como jornalista, fico perplexo com a dificuldade dos coleguinhas para perceber detalhes significativos nos gestos do governo, e o apetite pela fofoca vulgar. O pedestal das colunas e chefias de reportagem está desmoronando. O fenômeno das redes sociais que ajudou a eleger Bolsonaro e Trump veio para ficar. Se a imprensa e os jornais da velha guarda não quiserem morrer de morte mais rápida, valeria a pena refletir sobre os erros da história. Reproduzo aqui o quadro de Grão Vasco porque ele é bem simbólico. A riqueza de Portugal começou quando a Corte que criou a “ínclita geração” se aliou com ingleses, templários e judeus. Os judeus expulsos da França e da Espanha trouxeram informações da costa africana e Vasco da Gama foi atrás. Foi assim que descobriram ouro na Guiné e surgiram as ‘Guineas’ inglesas. Isso para não falar no Caminho Marítimo das Índias. A circuncisão de Cristo entra nessa história porque mostra o lado humano esquecido no nascimento de Jesus, numa família de origem judaica. Neste exato momento o Brasil, assim como Portugal do Século XIII e XIV, tem muito a aprender abrindo os braços para o capital e tecnologia israelense, principalmente no agro-negócio, energia solar e tecnologia. Gostem ou não, Israel é o próximo Vale do Silício. A mídia brasileira, do alto do seu pedestal de barro, podia estudar mais história para descobrir que quando as ideias são boas, a cara de quem propõe pode ser feia. O que vale é a ideia, não é a cara.”

Nota do Editor: Noênio Spínola é jornalista

2 visualizações