NO DIA DA PAZ MUNDIAL, VALE RECORDAR COMO COMPRAMOS NOSSO CAÇA


Na transição de Lula para Dilma, neste mesmo CCBB, a presidente eleita  chama os comandantes militares para comunicar que estavam mantidos nos cargos.







Com o brigadeiro Juniti Saito, a conversa alongou-se.

Dilma quis saber dos detalhes (que lhe haviam ocultados) sobre a opção do governo pelos Rafales da França para guarnecer de caças supersônicos a base aérea de Anápolis.

Dilma sabia que os Rafales, favoritos ma concorrência da FAB, não haviam sido ainda testados em combate.

No entanto, no governo Lula era intenso o lobby em favor dos caças s franceses.

Juniti, um militar conhecido por sua compostura e seriedade não se furtou de dizer a verdade.

Segundo uma testemunha da conversa, respondeu calmamente com a presidente eleita:

– “Presidente, a Aeronáutica não aprecia muito os Rafale. O preferido  sempre foi o caça Sukhói russo, mas ele não tem boa manutenção e as compensações ão eram favoráveis”.

A presidente eleita vai direto ao ponto:

– “Fora os russos, por que não os caças supersônicos F-15 da Boeing dos Estados Unidos, segunda opção, e ótima proposta em termos de contrapartidas para o Brasil?

– Presidente, os americanos não dão propina…

(Referia-se ao intenso lobby dentro da parte civil do governo Lula pelos franceses)

Ganharam os suecos do Gripen.

Sem lobby.

1 visualização