O DIA DOS PAIS EM ALGUNS LUGARES POR AÍ ...

Por RENATA MALTA VILAS-BÔAS

Coluna Vida em Família: Uma Questão em Direito


Cena 01: Sou Laura e tenho 10 anos. Vivo com a minha mãe e com a minha avó. Domingo será o dia dos pais e a professora pediu para fazermos um desenho bem lindo para ele.


Fiz o desenho e aguardo ansiosa a chegada dele no portão de casa. Faz tempo que não o vejo. Ele só aparece de vez em quando. Trabalha muito e não tem tempo de ficar comigo.


De longe vejo o carro dele chegando e ele acenando. Aceno de volta. Ele desce e vem em minha direção. Estou super feliz. Grito para a minha mãe: papai chegou ! Ela sai lá de dentro com uma mochila com as minhas coisas – mamãe sempre insiste em que eu leve um monte de coisa.


Quando papai chega perto de mim, sorri, pega o desenho, diz: vamos tirar uma self ? fico super feliz ! Eu, papai e o desenho que fiz com tanto capricho !


Passados aqueles segundos diz para a minha mãe: não posso ficar com ela hoje, tenho uns compromissos, talvez final de semana que vem. Vira as costas e vai embora.


Mamãe vê o meu sorriso indo embora também, e tenta me consolar. Querida, é assim mesmo, ele está trabalhando demais. Ouço aquela fala da minha mãe e sei que ela está mentindo, ela não quer aquela dor para mim, mas não sabe como acalmar o meu coração. Afinal, como explicar a maldade humana, o desamor, o abandono ?


À noitinha escuto ela no telefone com a minha tia Lurdinha:


É de cortar o coração o que ele faz com ela Lu !, Ela adora ele, e ele simplesmente ignora a bichinha. Um dia ela vai crescer e descobrir tudo isso. Veja lá nas redes sociais dele, o “trabalho” de hoje: samba e pagode na casa do Joaquim. Nem no dia dos pais, ele consegue ser pai !


Eu sei .... eu sei ... Eu só quero que acabe o dia dos pais !!! porque aqui em casa é uma tristeza só !!!


Cena 02: Sou Pedro e tenho 09 anos. Essa semana na escola foi difícil ! A professora insistindo para fazermos um desenho para darmos de presente ao pai por causa do dia dos pais.


Só que não tenho pai. Nunca tive.


Vivi uma dúvida: conto para ela que não tenho pai, que nunca tive, Invento que ele morreu em algum desastre. Ou faço o desenho dele comigo e depois jogo fora o desenho ?


Conto para a minha mãe o que está acontecendo ? Ela já tem tanta coisa para pensar ... Além disso ela diz que eu sou o homenzinho da casa e que tenho que resolver as minhas coisas. O que eu decido ?


Bom, estamos em casa mesmo, ninguém vai ver meu pai. Vou fazer o desenho e dizer que entreguei. Terei menos aborrecimento na escola.


Cena 03: Sou Lucinha e tenho 11 anos. Moro com as minhas duas mães. Dia dos pais não faz sentido pra mim. Sou feliz com as minhas mães e nem vou me dar o trabalho de explicar isso para os meus colegas. Eles não sabem o que é ser abandonado e viver em um abrigo.


Cena 04: Sou Wagner e tenho 10 anos. Moro com os meus pais e minhas duas irmãs. Fiz o desenho que a tia pediu. No domingo, levantei cedo e fui entregar o presente para o meu pai. Minha mãe fez uma mesa linda de café da manhã e as gêmeas ajudaram a arrumar. Mas ele não quis saber. O único presente que ele realmente gostou foi da minha irmã Marcele, o resto ele olhou de lado e foi como se não existisse. Já nos acostumamos com isso. Só o que a Marcele faz é o que ele gosta. Quem diz que pai e mãe não tem um filho preferido não conhece o meu pai. Mas isso só piora nos dias de festa, principalmente no dia dos pais. Espero que esse dia acabe logo ...


Cena 05: Sou Maristela e tenho 09 anos. Pai, Mãe, Família ? Não sei o que é. Fui abandonada desde pequena. E entrei na fila para adoção. Como tenho uma deficiência e uma doença, não fui adotada. Dizem que provavelmente não serei, pois já tenho nove anos e isso seria uma adoção tardia, e que ninguém quer uma criança deficiente e doente. Então não sei o que é o dia dos pais, nem o dia das mães. Espero o dia acabar como qualquer outro.


O dia dos pais é bom mesmo pra quem ?


***

Conheça Renata Malta Vilas-Bôas


17 visualizações

Posts recentes

Ver tudo