O QUE CABE NO SEU BOLSO?

Atualizado: Abr 13

Por PAULO BEZERRA



Cada coisa tem seu valor!


Quando eu dizia para os meus filhos que um determinado carro alemão estava barato, eles me perguntavam porque eu não o comprava. Eu dizia que o automóvel custava pouco por aquele preço já que se tratava de um bom veículo premiumgermânico.


Cada bem ou mercadoria possui um determinado custo e valor e isto independe de quanto tenho no meu bolso. Saber o preço das coisas, permite avaliar se o que está sendo cobrado é justo, se está elevado ou barato, pois uma placa escrita promoção em um produto pode não significar um considerável desconto. Sendo assim, ao saber o valor, sabe-se se de fato que encontrou uma oportunidade de adquirir o que se queria, claro, desde que se tenha o dinheiro necessário.


Viajar, por exemplo, para o Nordeste brasileiro pagando preço de um pacote para Europa não é sensato, se houver o real desejo de conhecer essa região, deve-se aguardar por um preço mais em conta em outra época do ano. Todos nós temos nosso orçamento mensal e independente da forma de ganho, temos nossas prioridades. Saber gastar é primordial para se ter uma estabilidade financeira.


Devemos estabelecer as necessidades de acordo com o nosso padrão financeiro. As coisas têm seu valor e nós temos nosso dinheiro para consumi-las ou comprá-las. O que você leva para sua casa deve estar dentro de suas capacidades.


Não é porque eu gosto daquele carro alemão que eu tenha que estacioná-lo em minha garagem. Ele deve pertencer à garagem de outrem cujas finanças o permita, dado que neste momento um carro, dito popular, não onera minha planilha.


Você pode gastar o que quiser, desde que não enforque seu pescoço. Ir a um bom restaurante pode até estar em seus desejos, mas, se for pela experiência, veja no cardápio a oferta de preços para seus variados pratos.


Certa vez desejei conhecer um restaurante que tinha uma bela vista, os preços eram altos, fiquei nesse estabelecimento por um curto período, pedi um tira-gosto e uma bebida, aproveitei do local e fui embora e depois passei em outro local e acabei de jantar. Eu aproveitei a vista, não dispendi mais do que eu era capaz e não me arrependi da minha escolha.


Cada compra sensata permite que sua caixinha vá engordando aos poucos.


Tenha foco em suas necessidades e reais desejos e oriente-se nesse sentido.


Portanto, você não só pode como deve aproveitar a sua vida! Frequentar bons bares e restaurantes, viajar para aquele lugar que sempre sonhou e conquistar sua casa e carro sonhados, mas sempre optando pelos desejos que cabem realmente no seu bolso.


#paulobezerra #educaçãoparaoconsumo #economia #educaçãofinanceira #finanças #seudinheironacaixinha #consumo #consumidor


Conheça o nosso colunista Paulo Bezerra e leia outros artigos de sua autoria:

https://www.cartapolis.com/seu-dinheiro-na-caixinha