O QUE FAZEM HOJE OS PRAGMÁTICOS DE BOLSONARO

Os pragmáticos (realistas e profissionais) já não estão com os pés em 29 de outubro, no dia seguinte à eleição de Jair Bolsonaro no segundo turno.

Os pragmáticos já estão hoje cuidando da formação do novo governo. Já estão na verdade com um terço do novo ministério escalado.

Os pragmáticos (realistas e profissionais) já não mais estão com os pés em novembro, para cuidar da transição entre o atual e o novo governo.

Os pragmáticos já estão dando cartas ao atual governo para determinar o que quer nesse resto de mandato, para não arrombar ainda mais o caixa..

Os pragmáticos (realistas e profissionais) já não estão com os pés em 1 de janeiro, posse do novo governo.

Os pragmáticos na verdade já estão hoje acertando medidas de governabilidade, por exemplo, o futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, anunciando o corte de 2O mil cargos comissionados em 2 de janeiro, primeiro dia útil do governo Bolsonaro..

Os pragmáticos.(realistas e profissionais) não mais estão em 2 de fevereiro, data da reabertura da nova legislatura, para iniciar articulações para a eleição dos novos presidentes do Senado e da Câmara, nomes de de sua confiança.

Os profissionais de fato já estão hoje cuidando para que os novos dirigentes do Congresso sejam de sua confiança máxima, se possível, do PSL e mais ainda, se der, da própria família Bolsonaro.

(Como mostra o Estadão de hoje: “Centrão reage a investida do PSL pelo comando da Câmara dos Deputados. Se Bolsonaro for eleito e ‘atropelar’ grupo com indicação do filho, sofrerá oposição”. )

Evidente que não dá para Bolsonaro cogitar fundar uma nova oligarquia no Brasil, Mas se o cavalo passar selado à sua porta, ele montará, a depender da aderência do centrão ao do novo poder e à distância de votos sobre Fernando Haddad no segundo turno.

0 visualização