Qual tomate você vai querer?

Atualizado: Fev 17

Por LUCIANE MESQUITA


Tem algumas coisas que fazemos que nos dão a sensação de estarmos mais perto de Deus. Me sinto assim quando planto e mais ainda quando realizo a colheita. Me sinto participando e ajudando a natureza, promovendo algumas condições para o nascimento, crescimento e geração de flores e frutos. É bonito e é gratificante demais…


Podemos fazer um paralelo com a geração de nossos próprios filhos. Para promover esses milagres não é necessário exageros e luxos… é necessário um terreno com qualidade, um ambiente saudável e harmonioso. Para crescer precisamos alimentar e dar água em abundância. Tudo na natureza tem sede e fome de luz, da verdade e de cuidados. O sol é o abraço caloroso, o colo que todo ser vivo precisa para desenvolver.


E os remédios são por vezes necessários, mas não para intoxicar, nada de anabolizantes, nada de esteróides, nada de querer perverter a natureza. Ela não é sua. Você não é seu dono. E não, não precisamos alimentar nossos filhos com falsidades e subterfúgios. Viçosos ou não, estando no padrão ou não, o que interessa de verdade para esse mundo não é a casca, mas sim o conteúdo. Esse sim, precisamos garantir que seja doce, suculento, nutritivo, cheio de potencialidades e caráter. Vamos dar as ferramentas e deixar a natureza fazer o resto. Não, não precisa muito. Precisa de atenção, precisa de amor, e de uma poda de vez em quando….


E no final o que você prefere colher? O lindo tomate, grande brilhante vermelhíssimo, ácido e sem sabor? Ou prefere o tomate, que pode até estar fora dos padrões, mas que está carregado de caudaloso sabor, caráter e repleto de doçura? Qual tomate você vai querer?

Foto: Luciane Mesquita

#AsCaseiricesdaLu #LucianeMesquita