SÓ MÃO FORTE DE ACM CONSEGUIU FAZER SENADO TRABALHAR CINCO DIAS NA SEMANA

Nas mudanças de comportamento da classe política, claramente desejadas pelo eleitorado brasileiro no último pleito, estará obrigatoriamente a assiduidade ao trabalho.

Os parlamentares, com raras exceções,  estão em Brasília de terças às quintas, passando à sociedade um péssimo exemplo de desrespeito com o restante dos brasileiros que trabalham.

Eles, que forma uma casta de apaniguados pois dispõem de um sem-número de vantagens e mordomias extras, e  ainda brindam o contribuinte com uma reduzida  produtividade legislativa.

A única fórmula eficaz que se tem notícia para combater essa velho vício parlamenta   – a aversão crônica ao trabalho em Brasilia – foi achada por Antonio Carlos Magalhães quando presidiu o Senado e o Congresso.

ACM, com mão de ferro, marcou sessões deliberativas nas tardes de segunda e nas manhãs  de sexta, e assim reteve o máximo possível de tempo em Brasilia os senadores  acostumados  a passear nos céus do Brasil às custas do erário.

Depois de ACM, a coisa desandou.  Quem sabe, o próximo presidente do Senado seja amigo do trabalho.

1 visualização