SEU PADRÃO DE QUALIDADE

Por LUCINEIDE CRUZ

Coluna Bate-Papo Fácil

Recentemente uma aluna, que cursava uma disciplina cujo o objetivo era elaborar um projeto de consultoria na área de gestão de pessoas, pediu algo inusitado. Ela disse: “professora, eu sei que o prazo para envio do trabalho já passou, mas eu queria melhorar algumas coisas nele, será que eu posso enviá-lo, com a devida mudança para o seu e-mail, não precisa valer nota”.


Nesta hora meus olhos brilharam! Ela tinha aprendido a ter o seu próprio padrão de qualidade, independentemente de qualquer coisa. As horas que ela gastou trabalhado, após o período de entrega, já não era para obter nota, era para ela ter satisfação com o trabalho realizado.


Satisfação esta que deve independer da atividade, da organização ou do gestor. A pessoa deve criar o seu padrão de qualidade, de tal forma, que o que sair com sua assinatura, ou seja, o que a envolver, precisa passar pelo seu próprio crivo.


Mesmo que o chefe seja um tirano, um mal-humorado, um chato, o clima onde trabalhe, não seja dos melhores, até porque normalmente o chefe influencia para bem ou para o mal o ambiente trabalho, e a remuneração não seja a melhor do mercado, ainda assim é preciso manter o próprio padrão de qualidade.


Claro que por ser o seu padrão, ele pode estar acima ou abaixo de algumas expectativas, principalmente se você for trabalhar em uma organização que não oferece treinamento mas exige perfeição.


Este padrão está diretamente relacionado a você e a sua satisfação pessoal de tal forma que gere a sensação de ter feito um bom trabalho, mesmo que não haja reconhecimento. A maneira exerce suas funções e atribuições deve estar mais relacionada a você do que com a organização onde no momento você trabalha.


O consolo é que raras são as pessoas que trabalham em um mesmo lugar por toda a vida, pois mesmo que sejam concursadas é comum que ocorra mudança de setor e se forem da iniciativa privada, nem todos ficam décadas em uma mesma empresa.


De qualquer forma, faça do seu nome, sua marca. Tenha seu padrão de qualidade. Aprenda a se automotivar de tal forma que não fique refém de um reconhecimento, faça porque isso é você e por você e claro, pelos clientes internos e externos que receberão o impacto de suas atitudes.


***

Conheça a Colunista Lucineide Cruz