TOFFOLI E MOURÃO ACERTARAM: MOTIVOS HUMANITÁRIOS

O ministro Dias Toffoli, presidente do STF, secundou o vice-presidente da Republica Hamilton Mourão e cederam ao espírito humanitário, vencendo o ranço ideológico, que é produto da intransigência.

Lula foi liberado para deixar a prisão em Curitiba por horas e ir a São Paulo para estar com os seus familiares enlutados.

Numa unidade militar, diga-se.  Nada de comício. Nada de exploração política. Tudo conforme a le e os bons costumes. Tudo conforme o humanitarismo, que muita gente desconhece ou pouco pratica.

Mas Lula desistiu da viagem. Segundo O Antagonista, citando Paulo Okamotto,  ex-presidente do Instituto Lula:

“O presidente Lula gostaria de participar do enterro e se despedir do seu querido irmão. É claro que ele também quer se encontrar com a família, mas para isso vai ter outra oportunidade”.

1 visualização