VARIAÇÃO DO DÓLAR SINALIZA QUE CAPITAL DA ELEIÇÃO É CURTO

Um alerta para a equipe econômica de Jair Bolsonaro com a variação recorde do dólar, refletindo um mercado ansioso e instável  no câmbio. Não valem  somente currículos enfeitados com doutorado em Chicago mas ações práticas logo no início do governo para dar segurança aos investidores, sobretudo os estrangeiros.

Os sucessivos recuos de Bolsonaro em relação ao desenho final dos ministérios podem estar contribuindo para essa expectativa ansiosa. O último  recuo foi ontem em face do CADE permanecer no Ministério da Justiça e não mais ser transferido ao futuro Ministério da Economia.

Denotou queda de braço entre os ministros Paulo Guedes e Sergio Moro, vencida por este último.

O que ha de bom é saber que o nervosismo do câmbio se deve mais a fatores externos como exportação de capitas investidos no Brasil para a formação dos balanços anuais das companhias estrangeiras e a perda de preço do minério de ferro – ainda o nosso maior produto de exportação – nos mercados mundiais. Nada contra Bolsonaro ou Guedes.

Por enquanto.

1 visualização